BOT-ORTIS

“Quando os pais de Mia, apreensivos com a obsessão da filha em estar isolada nos seus jogos, procuram algum contacto com ela, o súbito convite de um ser virtual de inteligência artificial para participarem num jogo em conjunto, parece tornar-se numa oportunidade para partilharem uma tarde bem-disposta.

Atravessando as barreiras entre o mundo físico e o virtual numa espécie de “caça ao tesouro”, são conduzidos por Bot-ORTIS a enfrentar uma série de desafios, onde os seus conhecimentos e interesses particulares serão cruciais, e terão que trabalhar em equipa para superar as provas. Ao explorar este mundo digital, onde nem tudo é o que parece, habitado por NPCs (Non Playable Characters, Personagens Não Jogáveis) muito peculiares e divertidos, vão descobrir que há mais em risco neste jogo, do que parecia à primeira vista.”

Bot-ORTIS de Teresa Faria e João Oom e encenado por Paula Sousa e João Oom é sobre a família na era digital. A deficiente comunicação e a cada vez maior obsessão pelo mundo digital, e pelos jogos, no contexto familiar são dos maiores problemas da sociedade. O seu conhecimento, a sua consciência e a procura de mudanças é vital. Bot-ORTIS pretende demonstrar esta realidade e propor saídas, onde a complementaridade do mundo digital e físico seja possível e em harmonia.

As crianças de hoje já nasceram no mundo das tecnologias, são os nativos digitais, enquanto os seus educadores são uma espécie de imigrantes digitais. É entre estas gerações que o conflito da estória acontece.

Na sociedade em que vivemos, a recusa de um mundo em prol do outro é impossível, pois o futuro da civilização tem levado a uma convergência entre o físico e o digital.